Cotuca aprova nova grade de horários para a tarde

A partir do ano que vem, uma nova grade de horários para o período da tarde entrará em vigor no Cotuca. As aulas desse período passarão a acontecer das 13h50 às 18h15, com cinco aulas por período — atualmente, ocorrem das 13h00 às 18h15, com seis aulas. A mudança abrange todos os cursos, exceto alunos do curso de Enfermagem Vespertino e do terceiro ano de Alimentos, que têm mais de 25 aulas no período, quantidade que o novo horário suportará.

A proposta foi desenvolvida pelos professores Guilherme Araújo Wood (Departamento de Eletroeletrônica) e Edson Joaquim dos Santos (Departamento de Humanidades), integrantes da Comissão de Horários do Cotuca. A proposta foi debatida internamente nos departamentos, sendo, na sequência, debatida e aprovada pela Comissão Interdepartamental (CID), composta pelos chefes de departamento. Também passou pela Comissão de Ensino, da qual fazem parte os professores Francisco da Fonseca Rodrigues (Departamento de Processamento de Dados), Edson e Jodir Pereira (Departamento de Ciências), além da  diretora de ensino Teresa Helena e do aluno João Carlos (2º Mecatrônica noturno). Após esses passos, foi debatida e aprovada na Congregação.

Leia também: A congregação faz política, de Giovanna Batalha na primeira edição

 

As motivações da proposta

11222440_896699100438263_2590892371503136566_o

Segundo o professor Edson, o novo horário foi proposto e planejado para solucionar problemas enfrentados pelos alunos do Cotuca, principalmente após a mudança para o prédio no Taquaral. Alguns cursos, por exemplo Alimentos, passaram a ter atividades em outros lugares, muitas vezes distantes do colégio. Como a mudança aumenta o horário de almoço, ela disponibiliza, àqueles que realizam atividades em outros lugares, mais tempo para almoçar e se locomover. Da mesma forma, os alunos dos cursos da modalidade B vespertino — que fazem apenas o ensino técnico no horário vespertino e o ensino médio em outra escola — passam a ter mais tempo para almoçar e se deslocar até o Cotuca.

A preocupação com o maior tempo de almoço é mais antiga do que a proposta aprovada neste ano, conforme explica a professora Márcia Maria T. Corrêa, chefe do departamento de Processamento de Dados: “os cursos técnicos vespertinos do nosso departamento sempre tiveram as primeiras aulas ministradas às 13h50, pois os alunos que fazem o ensino médio em outras escolas precisam de mais tempo para almoçar e se deslocar até o Cotuca. Creio que o novo horário estenderá essa realidade a outros cursos, além de padronizar um horário em que quase todos os alunos do diurno estarão disponíveis para realizar atividades extracurriculares. Além disso, alguns alunos que realizam as aulas técnicas no período matutino pedem para sair mais cedo devido à longa fila no restaurante. Com a extensão do horário de almoço, isso não será mais um problema”.

“O que acontece com uma grade de 30 horários é que sobram muitas janelas, o que gera  uma certa ociosidade à escola.” – Edson Joaquim dos Santos, professor de história e membro da Comissão de Horários.

O projeto organiza um horário em que quase todas as classes estarão livres para participar de atividades extracurriculares. Além disso, todos poderão frequentar à monitoria neste período.

Outro ponto motivador da aprovação da proposta foi o barulho: a acústica das instalações atuais faz com que os alunos atrapalhem o andamento das aulas quando estão em tempo livre, circulando e conversando próximo às salas.

É importante entender que as janelas continuarão existindo, mas em menor quantidade. Na prática, será como se toda primeira aula da tarde passasse a ser vaga, de modo que o tempo livre não diminuirá.

Questionamentos

Júlio Moreira, monitor de matemática, afirma que “se os monitores conseguirem conciliar a monitoria com parte do almoço, pode ser que a frequência do diurno aumente. Por outro lado, creio que, se estes não se programarem nestes horários (o que é perfeitamente possível), pode ser que esta seja até diminuída”.

Os monitores Gabriel Oliveira (de matemática), Dorival Silva (de informática) e Lucas Costa (de física) também expressaram sua preocupação. Eles acreditam que o novo horário possa reduzir o fluxo de alunos na monitoria. “Com a extensão do almoço, período em que as pessoas em geral descansam, os alunos só irão procurar a monitoria quando a situação já estiver muito séria”, diz Gabriel Oliveira. Já o monitor de física Alexandre Cucatti dos Santos não vê por esse lado, ele afirma que o fluxo de alunos não varia muito devido aos horários, mas sim com a proximidade às provas. Ele acredita que essa prática continuará acontecendo.

Outra proposta cogitada inicialmente era de estender o almoço em trinta minutos e liberar os alunos vinte minutos mais cedo, visando favorecer alunos que moram distante do colégio e poderiam sair da escola mais cedo.

“Moro em Indaiatuba, e quando as aulas terminam às 18h30 só chego em casa por volta das 20h30”. – Mateus Vieira, aluno do segundo ano de informática

Outro ponto criticado por alguns alunos e até professores é a falta de uma ampla discussão do projeto com os alunos. Muitos alunos só ficaram sabendo da mudança através de falas de alguns professores em aula. “Essa é uma discussão importante que interfere muito na vida dos professores e dos alunos, era necessário que tivesse sido mais discutida e divulgada aos alunos”, afirma Mauro Munsignatti Junior, chefe do departamento de ciências e membro da congregação.

Embora a congregação conte com representação discente, a discussão não foi feita amplamente entre os alunos. “As pautas, a data e o horário das reuniões da congregação são divulgados a todos os membros dois dias antes da reunião acontecer. Essas pautas são enormes, pois envolvem inúmeros temas. Como podem apenas quatro alunos (os representantes discentes) organizarem todos os alunos do Cotuca e realizarem uma discussão ou votação em tão pouco tempo? Nós tentamos fazer o melhor possível, e buscamos sempre votar pensando em benefício de todos os alunos do colégio”, explica Maitê Vasconcelos, aluna do terceiro ano de enfermagem e representante discente na congregação. A direção afirma que, apesar da pauta ser divulgada pouco tempo antes das reuniões, este tema foi encaminhado como informe em reunião da congregação no primeiro semestre, para que tal proposta fosse amplamente discutida e os representantes trouxessem os posicionamentos.

3 Comentários

Entre na discussão e nos diga sua opinião.

Wesleyresponder
novembro 20, 2015 em 01:11 PM

pioraram os horários de todos os cursos pra “ajudar” enf e ta, é isso? pq é só pra isso que vai servir… tá muito errado mexerem em tudo sem CONTATAR os alunos ou, no mínimo, um representante de cada curso.

Giovane Tesser Messiasresponder
novembro 20, 2015 em 05:11 PM

Fiquei totalmente indignado com o modo de decisão das mudanças.
Eu gostaria de saber como podem nos impor isso, se não ouve uma votação envolvendo o voto direto de todos os alunos do colégio?

Paulo Pacittiresponder
novembro 23, 2015 em 06:11 AM

Gostei mais da outra proposata de horário, com apenas 30 minutos a mais de almoço. Aí daria pra sair mais cedo e ajudaria aqueles que moram em outras cidades.

Responder: Paulo Pacitti Cancelar resposta