Lugares bacanas e baratos em Campinas e região*

A vida de estudante pode provocar muito cansaço, dependendo da época do ano. Muitas vezes, nos encontramos trancados no quarto, encarando aquela lista de exercícios ou projeto para fazer, mas nossa cabeça já não funciona mais. Por conta da preocupação com as tarefas, esquecemos que, para render bem (tanto nos estudos, quanto em outras tarefas), temos que realizar outras atividades de vez em quando.

Há muitas maneiras de alcançarmos essa “distração” que descansa a nossa mente. Podemos praticar nossos hobbies, escutar música ou ver um filme, por exemplo. Há uma infinidade de opções disponíveis. Algumas delas consistem em visitar lugares novos, com natureza e cultura.

O trabalho “A importância do lazer para a qualidade de vida do trabalhador”, escrito pelo aluno Marco Aurélio Borges Teixeira Júnior, orientado pelo professor Luis Francisco Bueno Sferra e pela professora Lara Belmudes Bottcher, mostra que, dentre os benefícios inclusos na prática do lazer estão o combate ao estresse e a melhoria da circulação do sangue. Esses benefícios promovem uma homeostase (equilíbrio no meio interno do corpo), o que garante uma boa saúde.

Como diz Melo, “o lazer é muito importante e está diretamente ligado à saúde, à educação e à qualidade de vida”. Novos lugares podem gerar novas ideias, soluções ou novos “nadas”. Isso mesmo: por mais estranho que seja, não pensar em nada pode ser benéfico em muitas situações. E estar em um local diferente colabora para que você descanse não só fisicamente como também mentalmente.

Segundo Melo, interesses físicos, artísticos, manuais, intelectuais e sociais poderiam ser citados quando estamos falando sobre a prática do lazer.

Porém, um dos obstáculos ao se falar em lazer é a dificuldade de acesso que muitos de nós podem enfrentar. Sobre isso, Melo questiona:

O lazer, numa suposta escala hierárquica de necessidades humanas, seria menos importante que a educação, a saúde e o saneamento (com certeza tidas essas dimensões humanas são fundamentais, mas por que seria o lazer menos importante? Além disso, existe relação direta entre lazer e saúde, lazer e educação, lazer e qualidade de vida, as quais não podem ser negligenciadas).

 

Apesar de tal questionamento, a certeza de que o poder aquisitivo garante o acesso ao lazer continua inabalada.

Outro assunto relacionado à diferença social e ao lazer é a questão cultural. A cultura, muitas vezes ligada a atividades que exigem um alto poder aquisitivo, acaba selecionando um público alvo mais rico. Assim, muitos não encontram meios de usufruir de um lazer ligado à cultura.

Um projeto promovido pela Unicamp com essa intenção de divulgar lugares para visitação em Campinas é o “Janelas que dão para outras Campinas”. São postais com fotos de Campinas, com indicações de ônibus para chegar aos paradeiros fotografados. São passeios próximos que podem ser feito sem muitos gastos. Vale a pena conhecer o projeto!

Para ajudar a conhecer novos locais, o Conexão Cotuca selecionou alguns pontos em Campinas e região para que você, leitor, possa descansar a mente.

Parque Portugal (Taquaral)

 

Lagoa do Parque Taquaral

 

Por ficar perto do Cotuca, muitos dos alunos do colégio já devem ter visitado esse parque. Porém, as atividades oferecidas nem sempre são conhecidas ou aproveitadas por todos.

Além de uma pista de caminhada de 2.725m de extensão e viveiros de pássaros, o parque possui:

 

  • Pedalinho: um passeio romântico ou com a família. Fica aberto nos finais de semana e feriados. O preço cabe no bolso: R$ 3,00 por pedalinho e são agradáveis 15 minutos de uso. Para comprar os ingressos, as bilheterias ficam abertas das 10h às 12h30 e das 15h às 17h30.
  • Bondinho: antigamente, Campinas possuía bondes elétricos pela cidade. Hoje, alguns deles estão preservados no parque. É também um passeio bem em conta, saindo por R$ 2,00 por pessoa. O passeio dura em média 20 minutos. Mas fique atento: só é possível comprar entre 10h e 17h30.
  • Planetário: não muito conhecidos, os planetários são cúpulas onde são projetados os planetas a fim de disseminar o conhecimento astronômico. O planetário do Taquaral abre aos domingos e possui dois horários para visitação: 15h e 17h30. Novamente, os preços são acessíveis: R$ 4,00 a entrada inteira e R$ 2,00 a meia.

 

Alguns lugares muito interessantes no parque: no portão 2, há uma pequena floresta ao lado da Concha Acústica, na qual é possível caminhar e passar um tempo em convívio com a natureza. Entre os portões 1 e 2, há uma grande área com churrasqueiras, mesas e bancos de cimento, ideais para um piquenique.

Onde: Bairro Parque Taquaral, Campinas
Contato: (19) 3256-9959

Praça do Coco (Barão Geraldo)

 

Quiosque da Praça do Coco

A Praça Irmã Carmela Stecchi ou, como é conhecida, Praça do Coco, é uma praça situada no bairro Barão Geraldo. Desde 1999, o lugar se desenvolve com foco em criar um ambiente natural e ecológico.Hoje, a Praça do Coco abriga um quiosque que serve pratos saudáveis e naturais. Um pastel e um tropicana podem ser uma ótima pedida! Ao lado do quiosque, há um playground que está sempre movimentado com crianças a correr para todos os lados.

Considerada um dos centros culturais de Barão Geraldo, não são raras as apresentações musicais e teatrais que lá ocorrem. Geralmente focadas para um público infantil, podem ser também para públicos mais maduros, como acontece no Carnaval, no evento Berra Vaca, o carnaval de Barão Geraldo.

Ainda há uma parceria com microempreendimentos locais, onde a Praça do Coco tem um papel muito importante de apoio às microempresas baronesas. É possível encontrar um mapa ao lado do quiosque divulgando e mostrando onde ficam as lojas parceiras.

Há também uma agenda fixa de atividades de lazer.

Às terças-feiras, há aulas de Lian Gong (prática corporal oriental que integra antigas tradições corporais orientais com a moderna medicina ocidental) às 8h.

Toda quarta é feito um passeio noturno de bike às 19h30 e, aos sábados, há um passeio de bike para iniciantes às 15h45. Nesse mesmo dia, acontece a Feira de Cultura e Arte, das 10h às 15h.

Por fim, aos domingos, é realizado o projeto “Corre Barão”, composto por treinos leves de corrida às 8h30. Saindo da Praça do Coco, tem um trajeto de 5km.

Onde: Rua José Martins, 738 – Barão Geraldo, Campinas – SP, 13084-153
Contato: (19) 3249-1501

Sesc Campinas (Bonfim)

Entrada do Sesc Campinas

 

Criado originalmente para conter as tensões entre trabalhadores e empregadores e para tratar os casos de tuberculose, hoje o SESC (Serviço Social do Comércio) tem unidades por todo o Brasil. Em Campinas, fica no bairro Bonfim.

Lá, é possível se tornar sócio apenas sendo comerciário (trabalhadores das áreas do comércio de bens, serviço e turismo; veja mais detalhes no site do Sesc), o que permite fazer parte de uma infinidade de atividades que variam desde shows (Pitanga em Pé de Amora, Tiê, A Banda Mais Bonita da Cidade, o Terno entre outros) e esportes até serviços de saúde, como odontologia, e educação.

É importante reforçar que muitas atividades são gratuitas. As outras costumam ser bastante acessíveis. Há, inclusive, muitas atividades que são abertas ao público.

De terça a sexta, o SESC fica aberto das 7h às 22h. De sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 18h.

Acompanhea agenda cultural do Sesc para o mês de Novembro.
Onde:Rua Dom José I, 270/333 – Bonfim, Campinas – SP
Contato: (19) 3737-1500

Passeio de Maria Fumaça (Anhumas/Jaguariúna)

 

Trens Maria Fumaça de Campinas

 

Antigamente, o principal meio de transporte eram os trens. Atualmente, eles podem ser bem divertidos, ainda mais quando estão pertinho de nós.

Oferecidos pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária), os passeios de maria fumaça oferecem uma paisagem bonita e até uma sensação de estar no século XIX. Além do transporte, a ABPF possui museus e lojas que incentivam a valorização histórica das ferrovias e trens. É realmente uma atividade bem diferente das demais.

Os passeios de maria fumaça são feitos nos fins de semana e fazem o percurso entre Jaguariúna e Campinas.

Percurso completo (3h30 de duração e 48km de percurso): Aos sábados, há um trem que sai de Campinas às 10h10. Já aos domingos, o trem sai de Campinas às 10h10 e às 14h30. De Jaguariúna, sai um às 12h30.O preço desse percurso é de R$ 90,00 a passagem inteira e R$ 45,00 a meia.

Meio Percurso (1h30 de duração e 24km de percurso): Aos sábados, de Campinas sai um trem às 15h. De Jaguariúna, ele sai no mesmo horário. Aos domingos, o horário de partida de Campinas é às 16h30. Já de Jaguariúna, são dois: 10h e 14h30. Esse percurso sai por R$ 70,00 a passagem inteira e R$ 35,00 a meia.

Em Novembro, os passeios serão feitos em todos os finais de semana e feriados, inclusive no feriado do dia 20/11 (sexta-feira), Dia da Consciência Negra, que terá os mesmos horários de domingo.

Estação de Campinas: Rua Dr Antônio Duarte Conceição, 1501, Jardim Madalena, Campinas – SP
Contato: 0800-8802006
Estação de Jaguariúna:
Av. Marginal, 600 – Centro, Jaguariúna – SP
Contato: 0800-8802006

*Este texto não tem o intuito de fazer propaganda para nenhuma empresa e muito menos divulgar quaisquer empresas ou negócios por fins lucrativos.

1 Comentário

Entre na discussão e nos diga sua opinião.

Postais: Janelas para outras Campinas | Conexão Cotucaresponder
novembro 19, 2015 em 09:11 AM

[…] visitar em Campinas? Essa tarefa só não é menos árdua que a de enumerar dez espaços públicos campineiros que frequentamos. Vivemos na parcela urbana de um município onde, em contraste a outros centros urbanos, […]

Deixe um comentário